domingo, 1 de agosto de 2010

Elegia

Não sofras, por não te poderes levantar
do abismo em que te reclinas:
não sofras, também,
se um pouco de choro se debruça nos meu olhos,
procurando-te.

Nenhum comentário:

Postar um comentário